Festival de Música no Maciço de Baturité

Veja também:

Empresa
• Histórico
• Diretoria

Receba novidades no seu e-mail, cadastre-se:

Digite seu e-mail:

Incluir Excluir

APRESENTAÇÃO
SELECIONADOS
DOWNLOADS

Durante uma semana, entre 14 a 20 de julho, no município de Baturité, os estudantes de música de todo estado do Ceará poderão participar de um momento único e grandioso. O Festival Música no Maciço de Baturité surge como uma opção cultural de formação de músicos no calendário cearense e conta com uma programação qualificada de aulas práticas e teóricas, workshops, shows e recitais. Arte, educação e fomentação cultural estão aliadas ao Festival que celebrará a música popular brasileira.

Uma nova perspectiva de desenvolvimento sociocultural e econômico. É por meio do ensino musical, da formação de residências artísticas com grandes nomes da música regional e nacional, que moradores da região serrana cearense, interessados por música, poderão compartilhar experiência, conhecimento e vivenciar um momento cultural único com sede na cidade de Baturité, localizada aproximadamente a 100 km de Fortaleza.
Os ganhos sociais pretendidos pelo projeto visam à construção integral de cada participante enquanto pessoa cidadã. Promover capacitação e empoderamento social desse público é permitir sua inclusão social, transformando-os em cidadãos capazes de fazer escolhas a partir da formação de capital cultural e social.

A música, enquanto prática social, produzida e vivida por pessoas, é uma instância privilegiada de socialização por exercitar as capacidades de ouvir, compreender e respeitar o outro.

Inscrição

As inscrições são gratuitas e devem se feitas AQUI.
Só é permitida a inscrição para maiores de 16 anos.

Vagas

São ofertadas 150 vagas, para estudantes de música de nível médio (que possuem noções básicas sobre o instrumento e alguma experiência na prática musical), dividas da seguinte maneira:

• 30 vagas destinadas a estudantes de Baturité.
• 70 vagas para estudantes de municípios e localidades pertencentes à grande região do Maciço de Baturité, com direito a alojamento, alimentação e transporte.
• 50 vagas para estudantes dos demais municípios do estado do Ceará.

As inscrições estão abertas entre 01 a 15 de junho e são gratuitas, somente para maiores de 16 anos.

Seleção

Após responder à ficha de inscrição completa, os inscritos passarão por uma primeira fase de seleção feita pela coordenação pedagógica do projeto.

O maiores de 16 anos que preencherem corretamente o formulário automaticamente estarão aptos a participar da segunda etapa de seleção, que consiste numa audição obrigatória, entre 25 a 27 de junho de 2012, em Baturité e, se necessário, em outro município. A equipe de produção do Festival entrará em contato com os inscritos para demais informações sobre horário e localidade.

Informamos que nessa segunda etapa de seleção serão necessários a apresentação do original e cópia dos seguintes documentos: CPF, RG e comprovante de endereço.

O resultado desta seleção será divulgado neste site, no dia 2 de julho.

Cronograma de Seleção:

01 a 15 de junho - Inscrições pelo site.
25 a 27 de junho - Audição dos inscritos aceitos.
02 de julho - Divulgação dos selecionados.
02 a 05 de julho - Confirmação da participação dos selecionados.

Hospedagem, alimentação e transporte

Alunos de municípios e localidades pertencentes à grande região do Maciço de Baturité – cidades de Pacoti, Palmácia, Guaramiranga, Mulungu, Aratuba, Capistrano, Itapiúna, Aracoiaba, Acarape, Redenção, Barreira e Ocara – exceto Baturité, serão os únicos com direito a alojamento, alimentação e transporte gratuitos.

Programação

O Festival contempla a realização de 24 oficinas, 3 workshops e 15 concertos musicais.

Oficinas

No total, serão oferecidas 24 oficinas para alunos de nível iniciante, sendo 08 de Prática Instrumental, 07 de Prática de Conjunto e 09 de Exploração da Linguagem Musical, das quais 06 serão abertas à comunidade.

Cada aluno participará de 03 oficinas, sendo uma delas, obrigatoriamente, de Prática Instrumental.

Prática Instrumental: consiste em 8 oficinas, voltados para iniciantes que desejam aperfeiçoar seus conhecimentos. É necessário já possuir noções básicas e alguma experiência na prática do instrumento escolhido.

Número de vagas por oficina: 15.

1. Violão/viola brasileira/ 7 cordas
2. Flauta doce/pife/escaleta
3. Clarinete/Sax/ Flauta transversa
4. Canto/Voz como instrumento
5. Bateria/pandeiro
6. Contrabaixo elétrico
7. Guitarra elétrica
8. Piano/teclado

Exploração da Linguagem Musical: consiste em 09 oficinas, dos quais 06 são destinadas exclusivamente aos 150 alunos inscritos e 03 são abertas tanto aos alunos quanto à comunidade. As oficinas exclusivas versam sobre tópicos dos conhecimentos musicais específicos da área. Por sua vez, as oficinas abertas versam sobre tópicos de interesse
geral, ou que não necessitam de formação específica prévia. Oficinas, com o respectivo número de vagas:

*Exclusivas para inscritos:
1. Arranjo/composição (20)
2. Harmonia/ Análise (20)
3. Improvisação na música brasileira (25)
4. Prática de leitura musical (30)
5. Prática de regência/ Direção musical (10)
6. Percepção musical (20)

*Abertas (limite de vagas: lotação do auditório)
1. História da Música Brasileira
2. Beatbox/ percussão vocal
3. Percussão criativa

Prática de conjunto: consiste em 07 oficinas, formadas por alunos das diversas práticas instrumentais, orientados para desenvolver a atividade musical em grupo e trabalhar questões de performance e repertório. Os grupos apresentarão os resultados destas oficinas em concertos musicais pela noite, nos últimos dois dias do evento, 19 e 20 de julho.

Número de vagas por oficina: 15

Workshops

Realizados em formato misto de palestra, bate-papo e pocket-show, os workshops contém proposta de unir apreciação e informação sobre o conteúdo musical em torno de um objetivo comum: homenagear um artista relevante ao cenário musical brasileiro, relevando aspectos de sua obra e de sua trajetória artística. Serão oferecidos 03 workshops, que ocorrerão no turno da noite, antes do concerto principal, com músicos convidados.

Concertos musicais

Os concertos ocorrerão no turno da noite, encerrando as atividades diárias com a fruição musical e oportunidade de prática de performance para os alunos. Serão 08 concertos feitos pelas turmas de Prática de Conjunto, e 07 de artistas/grupos renomados, convidados pela produção do Festival.

Corpo Docente

O corpo docente do Festival será composto por 8 professores e 1 coordenadora pedagógica. Cada professor ministrará 03 oficinas com carga horária total de 46,5 h/a.

Coordenadora Pedagógica

Luciana Gifoni é professora do curso de Música da Universidade Estadual do Ceará. Ministra disciplinas de Treinamento Auditivo, Estética, Etnomusicologia e Metodologia da Pesquisa em Música. É responsável pela direção do grupo Doce de Flautas, vinculado ao projeto de iniciação artística Grupo de Flautas da UECE. É Mestre em Música pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista (IA-Unesp), na área de Etnomusicologia. Graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Ceará. Sócia fundadora e atual vice-presidente da associação Amigos do Piano do Ceará (APICE). Como flautista, integra os grupos de câmara Ad Libitum e Syntagma, tendo participado do seu segundo CD, intitulado Miracula (2005).

Professores

David Calandrine é músico violonista, compositor e arranjador. Professor do Conservatório de música Alberto Nepomuceno, onde leciona violão e prática de conjunto. Foi coordenador do Festival Cearense de Violão (2010/2011), e diretor musical do Quintessência (quinteto de violões). Em 2010 gravou o CD Preservação da Cultura Violonística do Ceará, com obras de compositores autodidatas, resultado da pesquisa do professor José Mário de Araújo. A convite da Professora Luciana Gifoni, em 2006, gravou o CD Cantares Bohêmios, com composições de Ramos Côtoco. Vencedor do 1º festival da FM UNIVERSITÁRIA (2010) na categoria música instrumental. Atualmente é integrante do grupo Sintagma.

 

Erivelton Silva iniciou sua carreira em 1983 tocando em bares e em casas noturnas, caminho natural de quase todos os músicos profissionais. Na noite brasiliense começou sua parceria com a cantora Rosa Passos com quem, por muitos anos, dividiu o palco e vários discos. Em 2000, após vários convites, se muda definitivamente para o Rio de Janeiro buscando novos horizontes em um mercado de trabalho ampliado. A partir daí, começa uma nova fase em sua carreira, tendo a oportunidade de mostrar seu estilo inconfundível trabalhando com o primeiro time da Música Popular Brasileira, em performances ao vivo e em gravações com artistas como Chico Buarque, Ed Motta, João Bosco, Toninho Horta, Márcio Montarroyos, Leny Andrade, João Donato, Roberto Menescal, Ivan Lins, Danilo Caymmi, Raul de Souza, Milton Nascimento, entre outros. Desenvolvendo uma sonoridade totalmente peculiar e pessoal, é requisitado para workshops em várias Universidades nos EUA e participa de gravações e festivais de jazz, ao redor do mundo, ao lado de artistas como Paquito de Rivera, Elvin Jones, Kenny Rankin e Charito Filipinas.Atualmente integra os grupos Speed Samba Jazz, Banda Sambop e faz parte da banda da cantora Leny Andrade.

 

Inez Martins é formada em Piano pela Universidade Estadual do Ceará e é Mestre em Artes pela Universidade de São Paulo. Estudou viola no Conservatório de Tatuí em São Paulo onde integrou a Orquestra Sinfônica Jovem dessa instituição. Participou de importantes Cursos e Oficinas de Música pelo Brasil regendo as orquestras e bandas de bolsistas nos Festivais de Itu, Curitiba e Campos do Jordão (Núcleo Bandas). Estudou regência coral com os maestros Orlando Leite, Pe. Pedro Ferreira, Carlyle Weiss, Nestor Miguel Wenholz e Marcos Júlio Sergl; regência orquestral com os maestros Eleazar de Carvalho, Dante Anzolini, Roberto Duarte e regência de banda com o maestro Dario Sotelo. Fundou e regeu a Orquestra Experimental de Cordas e a Orquestra de Cordas do NEM-UECE. Atualmente é maestrina da Orquestra de Sopros da UECE a qual também foi a sua fundadora. É professora efetiva da Universidade Estadual do Ceará onde leciona as disciplinas de Regência, Didática do Ensino de Música, Piano, Prática de Coral e Prática de Conjunto.

 

Amanda Nunes é graduada em Licenciatura em Música pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). É professora de musicalização, violão, percussão e coral, tendo atuado no Ensino Infantil e Fundamental. Tem realizado também pesquisas e oficinas nas áreas de percussão vocal e corporal associadas ao canto em grupo na cidade de Fortaleza-CE, em espaços como a Escola Viva Música Viva (2010), I Encontro de Música Percussiva da UFC (2010), Encontros Universitários UFC (2011), Centro Cultural Banco do Nordeste (2011), dentre outros, trabalhando em parceria com a professora e musicista Lenina Silva. Atualmente participa do Grupo Vocal "Seios da Face" (composto apenas por vozes femininas) e do "Grupo de Música Percussiva Acadêmicos da Casa Caiada" atuando como cantora, violonista, percussionista e arranjadora (ambos os grupos são projetos de extensão da Universidade Federal do Ceará).

 

Cristiano Pinho começou a tocar aos 12 anos de idade. Graduou-se em Música na Universidade Estadual do Ceará. Em 1988 estudou Harmonia e Improvisação na Escola Ian Guest de Aperfeiçoamento Musical, no Rio de Janeiro. De lá para cá o talento do músico ganhou reconhecimento nacional por enriquecer os discos e shows de cantores e compositores como Raimundo Fagner, Kátia Freitas, Fausto Nilo, entre outros. Multiinstrumentista, compositor, arranjador e produtor musical, Cristiano lançou em 1997 seu primeiro álbum instrumental solo, o elogiado "Pessoa". Desde então participou de inúmeros festivais de música instrumental, entre eles o Festival de Jazz e Blues de Guaramiranga e o Festival Música na Ibipaba, neste último sendo convidado também como professor. Em 2004 tocou como músico convidado com a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, sob a regência do maestro Roberto Minczuk, na sala São Paulo. Desde 1997 integra a banda do cantor e compositor Raimundo Fagner em seus discos, DVDs e turnês.



Hermano Bezerra iniciou-se no estudo do baixo elétrico com a orientação do professor Miquéias dos Santos, é graduando do curso de licenciatura em música da Universidade Estadual do Ceará e participou de diversos cursos e festivais de música, como o curso internacional de verão de Brasília (DF), em 2010, em que estudou harmonia com o húngaro Ian Guest. Integrou os grupos de música instrumental Jazz aos Vinte e Guichê 3. Participou de shows e gravações ao lado de nomes como Rodrigo Gondim, Bob Mesquita, Tito Freitas, Miquéias dos Santos, Marcio Resende, Luizinho Duarte, Heriberto Porto, Tiago Almeida, Cainã Cavalcante e Tiago Rocha.

 

Widor Santiago é um saxofonista de jazz. Atualmente, além de ter seu próprio quinteto, Widor toca com o cantor e compositor Milton Nascimento, com o qual tem se apresentado pelo Brasil, Américas do Sul e Central, África, Japão e Europa. Tocou ao lado de músicos como: Airto Moreira, Dave Weckel, Delmare Brown, Efrain Toro, Giovanni Hidalgo, Larry Coryell, Luis Avellar, Marcos Rezende, Mike Stern, Nico Assumpção, Pascoal Meirelles, Paulo Braga, Paulo Russo e Paulinho Trompete. Gravou o CD A Rosa em Londres (ING), São Francisco (EUA) e Rio de Janeiro, com participação especial de Flora Purim e Airto Moreira. Iniciou seus estudos musicais aos sete anos de idade. Músico nato, autodidata, Widor Santiago começou sua carreira em Brasília e, em 1984, mudou-se para o Rio de Janeiro. Tocou e gravou com artistas da MPB como Ângela Ro Ro, Baby do Brasil, Cazuza, Djavan, Erasmo Carlos, Emilio Santiago, João Bosco, entre outros.

 

Robson Lima iniciou-se na música ainda criança, como autodidata, tocando Flauta Doce. Aos doze anos começou a ter suas primeiras lições de teoria musical e Trompa na escola de música de Maranguape-Ce, cidade em que foi professor de trompa e flauta doce. É graduando do curso superior de Música da universidade estadual do Ceará (UECE), foi integrante do grupo Syntagma e vencedor, como trompista, do concurso internacional de jovens solistas no festival internacional Eleazar de Carvalho. É o trompista principal da orquestra Sinfônica da UECE, realizou concertos como solista na Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho. Em 2011 foi selecionado como bolsista para o conservatório de Briançon - França, em 2012 foi convidado para o solar concertos, com a Orquestra Sinfônica dos Alpes do sul - França. Atualmente, é o trompista principal da Orquestra sinfônica do Conservatório de Briançon, trompista principal da Orquestra Sinfônica dos Alpes do Sul (OPUS) e Integrante do Grupo de Metais ALPIBRASS, na França.

 

topo

 
   

Quem somos
Empresa
Histórico
Diretoria


Serviços
Produção Cultural
Produção de Eventos
Relações Públicas

Projetos
Produção Cultural
Produção de Eventos
Relações Públicas
Clientes Atendidos

Fale conosco
Contato
Faça parte de nossa equipe

usinadearte.com.br